Assim como revelado ao Mensageiro de Deus
Marshall Vian Summers
em 2 de março de 2011
em Boulder, Colorado, EUA.

A espiritualidade é fundamentalmente uma busca por liberdade – liberdade de certas coisas e liberdade para certas coisas.

Visto dessa maneira, o quadro se torna mais completo. Pois você tem um destino maior no mundo, um propósito maior para estar aqui, um propósito que você não está vivendo agora, apesar das suas definições e proclamações. É para libertá-lo da vida que você está vivendo agora, para prepará-lo para uma vida maior em serviço ao mundo, isto é o que representa o centro e a essência de todo desenvolvimento espiritual.

Existem, é claro, muitos outros objetivos que as pessoas trazem à sua vida interior e à sua crença no Divino – agradar a Deus, ter uma boa posição social, ser um membro íntegro de comunidades religiosas ou eclesiásticas, seguir os preceitos, ser devoto ou ser rebelde. Não importa a posição que você possa estar, você ainda não se libertou da sua condição anterior.

Você pode ter crenças maravilhosas. Você pode se envolver em prática espiritual. Você pode prostrar-se no templo, na igreja ou na mesquita. Você pode passar por todos os movimentos religiosos e encher a sua casa com materiais e simbologias religiosas, mas você ainda não está livre de sua condição anterior.

Isso tem muito a ver tanto com a sua liberdade interior como com a sua liberdade exterior. Você está tentando ficar livre de certas coisas e para certas coisas porque você tem um destino, porque você possui um propósito maior.

A luta por liberdade existe em muitos níveis diferentes e representa a motivação central dentro dos indivíduos se eles estiverem sendo honestos e fiéis ao Conhecimento dentro de si mesmos. A luta por liberdade política, a luta por liberdade econômica, a luta por liberdade social – o espírito humano não se satisfaz ao ficar obrigado e escravizado, aderindo somente aos ditames da cultura, política e religião.

Você deve ver as suas próprias motivações pela liberdade, quaisquer que sejam as suas circunstâncias, não importa a nação em que você viva, qualquer que seja o clima político ou o clima social, seja ele tolerante ou intolerante, liberal ou conservador. Você está vivendo a vida que você sabe que precisa viver? Esta é a questão. E a honestidade da sua resposta será importante.

Deus pode lhe fornecer o caminho para dar os Passos para o Conhecimento, a inteligência mais profunda dentro de você. Mas Deus não pode controlar o que você diz a si mesmo ou o que você permite que outros lhe digam, ou afetar os compromissos que você faz em seu próprio entendimento ou os compromissos que você faz para adquirir as coisas que você acha que precisa e necessita de outros.

Assim, o ímpeto por liberdade, o desejo por liberdade e a certeza que você deve reivindicar uma liberdade maior – tudo isso deve vir de você. E é difícil e desafiador. Irá ameaçar a sua segurança, as suas ideias, a sua complacência e os seus acordos com outras pessoas. Pode desafiar a aprovação que você quer dos outros, a sua posição social e a sua posição na família – tudo.

Mas, entenda, você está no mundo fundamentalmente para realizar uma missão maior, para se preparar para esta missão, para se libertar para esta missão, para obter a força, a coragem e a integridade para empreender esta missão e obter a liberdade daquelas coisas que lhe comprometem e restringem, para que assim você possa ter a liberdade para a oportunidade de se engajar numa vida maior.

Se você tivesse que ser verdadeiramente honesto consigo mesmo em um nível mais profundo, ao nível do Conhecimento, esta é a verdade que você iria encontrar. Porém esta é uma verdade profunda, muito além do que as pessoas pensam, consideram e dizem a si mesmas. As pessoas querem ser felizes. Elas querem estar seguras. Elas querem ficar confortáveis. Elas querem ter companhia. Elas querem ser aprovadas pelos outros. Querem que gostem delas e que sejam apreciadas. Elas querem ter prazeres. Elas querem ter confortos.

Não há nada errado em querer essas coisas, mas você tem uma motivação maior dentro de si que não pode ser comprometida pela busca do que quer que seja. Isso representa o seu primeiro e principal compromisso.

Se você pudesse questionar a si mesmo através de todos os seus desejos, medos, preferências, necessidades e suposições, você chegaria a esta verdade fundamental, que existe algo mais importante para você fazer. Você não pode criar isto. Você não sabe o que é, mas está lá, e você tem que achar uma maneira de encontrá-lo, descobrí-lo e expressá-lo no mundo. Este é o desejo central, a intenção central, a necessidade central – a necessidade mais profunda da sua alma.

É claro que muitas pessoas não irão tão longe assim consigo mesmas. Elas querem as coisas fáceis, as coisas simples, as coisas prazerosas, as coisas confortáveis. Elas não chegarão muito longe. Elas não se questionarão em qualquer nível significativo. Elas querem conforto e consolação. Elas não querem ter que trabalhar muito duro ou abrir mão de qualquer vantagem que possuem ou que elas acham que precisam ter. Assim a integridade delas se perde, e elas ficam estranhas a si mesmas e à necessidade mais profunda de suas almas.

Vocês veem isto em todo lugar, é claro. É a condição da humanidade. Vocês a veem retratada mais tragicamente nas nações mais ricas, onde as pessoas ganharam liberdade política e liberdade social numa extensão muito maior do que em qualquer outro lugar na Terra. Porém elas não as utilizam. Não as reivindicam. Elas não se aproveitam da grande oportunidade que isto lhes dá. Assim elas buscam confortos e prazeres, satisfazendo-se em romances e hobbies. Elas tentam adquirir riqueza e se perdem em seus interesses e distrações. Que desperdício trágico isso é, que aqueles que têm desperdiçam o que têm, enquanto que aqueles que não as têm, buscam e necessitam delas desesperadamente.

É por isso que o poder e a presença do Conhecimento estão dentro de você. Deus lhe deu uma inteligência mais profunda. Ela representa a parte de você que nunca se separou de Deus, e, portanto, ela pode ser uma fonte de expressão do Criador dentro de você – a sua conexão com o Divino.

O Conhecimento não pode ser enganado. Não pode ser seduzido. Não responde a concessões. Ele está aqui em uma missão, e esta missão é a sua missão. Ele não ficará satisfeito com qualquer outra coisa. Mesmo quando você atender os requisitos básicos da vida, ele irá empurrá-lo mais longe e mais fundo. Ele não deixará que você se satisfaça com nada menos. Mesmo se adquirir todas as coisas que você acha que quer e precisa ter, a insatisfação irá conduzí-lo adiante. Pois você precisa ser livre para certas coisas – encontrar as pessoas que irão fazer parte da sua missão, descobrir onde aquela missão precisa ser expressa e como ela será expressa.

Estas não são coisas que você pode compreender em seu intelecto. Não é uma busca intelectual. Tente o quanto puder entender isso, você não poderá entender a menos que faça a jornada em si. É uma jornada para a liberdade.

Quão longe você vai nessa jornada depende do nível de honestidade que você tem dentro de si. Como você expressa essa liberdade, quão longe você leva essa liberdade, dependem de sua autoconsciência e de sua honestidade consigo mesmo.

A honestidade aqui é tão central à jornada para a liberdade. É tão fácil ser desonesto, particularmente quando você enriquece, na medida em que adquire os confortos que tão poucas pessoas no mundo têm. A cultura lhe dirá para perseguir a riqueza, a felicidade e o prazer, o casamento e a família – tudo o que você vê ao seu redor que está sendo cegamente seguido e aderido, muitas vezes sem questionar. Até mesmo os rebeldes em sua sociedade estão presos a isso, pois eles ainda não se libertaram.

As pessoas pensam que conhecem a verdade. Elas pensam que sabem o que querem porque estão tentando usar o intelecto para determinar o propósito, o curso e a direção de suas vidas. Mas o intelecto é uma coisa temporária, um instrumento maravilhoso ele é para a comunicação e a avaliação, mas ele não pode discernir a verdade maior sobre a sua vida – por que você está aqui e quem lhe enviou. Para isto você precisa ir além de ideias, crenças e suposições, numa experiência mais profunda.

Deus tornou isso possível colocando o Conhecimento dentro de você. Ele não é governado pelo condicionamento social. Não é induzido pelas persuasões do mundo. Não se curva àqueles a quem vocês acham que precisam agradar e a quem devem servir. Ele é claro. É compassivo. E é inteiramente honesto.

Aqui a honestidade não é saber o que você sente. É verdadeiramente sentir o que você sabe. Isto fala de uma liberdade em um nível maior – a liberdade não somente para estar a salvo e seguro, a liberdade não somente para possuir vantagens e confortos na sociedade. É uma liberdade por algo maior que empurra você para frente. Que reconhece as muitas coisas que você possui, as muitas bênçãos que você tem, as realizações que você alcançou e todas as dádivas de sua sociedade, sejam elas quais forem. Porém a jornada para a liberdade empurra você para mais longe.

Ter não é o bastante. Você deve saber. Você precisa fazer a conexão mais profunda com o Conhecimento dentro de si mesmo. Deve começar a viver a vida para a qual você foi enviado para viver aqui, pois nada mais no mundo irá realmente satisfazer a alma.

Aqui você precisa se esforçar ainda mais. Agora você quer se tornar livre de coisas que estão dentro da sua própria mente – livre do medo, livre de concessões, livre de comportamentos e atitudes autodestrutivas, livre de justificações por coisas que não podem ser justificadas, liberdade de ficar apaziguando outras pessoas, liberdade de seu próprio comportamento social, que raramente foi honesto e autêntico. Você está buscando liberdade por um engajamento maior dentro de si e liberdade por um engajamento maior no mundo, o qual está lhe chamando na medida em que se intensificam as necessidades e crises dele.

Este esforço, esta necessidade, este alcance é absolutamente essencial e natural a você. Contudo você verá que seus amigos não compartilham disso. Eles querem ficar para trás. Eles não querem subir esta montanha. Eles querem ser felizes. Eles querem ficar confortáveis. Eles querem administrar o que já têm. Eles não querem questionar o que estão fazendo. Não querem questionar os valores deles. Eles não querem questionar o que está acontecendo no mundo. Eles têm medo disso! Medo de que isso possa chamar algo maior para fora deles.

Todos que nascem no mundo estão nesta jornada para a liberdade. Contudo, a maioria das pessoas não pode ir muito longe por causa das circunstâncias opressivas. Opressão política, pobreza extrema, insensibilizando o espírito, insensibilizando a alma. Elas estão lutando para adquirir as coisas simples e básicas da vida, e isto ocupa todo o seu tempo e energia.

É uma tragédia de proporções imensas, e é uma das razões pela qual a humanidade não progrediu mais além do que já foi. Pois estas vidas que são destinadas a ser de grande auxílio no mundo estão sendo desperdiçadas e esmagadas sob o peso da pobreza e da opressão.

Para aqueles que possuem circunstâncias melhores, muitos só querem se enriquecer e se isolar da pobreza que veem ao seu redor. E as categorias mais ricas de pessoas, seus dons e suas oportunidades são tão desperdiçados em buscas vazias, luxúrias e prazeres sem sentido.

O mundo oferece imensas oportunidades para as pessoas ficarem perdidas aqui. Mas todos ainda estão em uma jornada para a liberdade, mesmo que tenham perdido seu caminho, mesmo que tenham se rendido às suas circunstâncias ou aos seus desejos e prazeres. A necessidade da alma não muda. A direção do Conhecimento não muda. O desejo por uma maior liberdade, agora por liberdade interna bem como por liberdade externa, não diminui.

Este desejo, esta intenção, esta vontade, nascem do Fogo do Conhecimento dentro de você. Este fogo pode se tornar distante e desconhecido para você, mas ele não vai embora. Não se extingue, pois você não pode extinguí-lo. Você pode aproximar-se dele ou distanciar-se dele. Ou é conhecido por você ou é desconhecido. Ou você sente ele ou não o sente. Ou você pensa sobre ele ou não pensa sobre ele.

Fundamentalmente, a expressão de um propósito superior é o seu serviço a Deus, à humanidade e ao mundo. Isto transcende o seu serviço a si mesmo ou o seu serviço à sua família próxima. Você ainda serve a si mesmo e à sua família até certo ponto, mas agora a prioridade muda para um nível superior.

Contudo, a liberdade e a honestidade ainda estão amarradas juntas. Existem pessoas que querem servir a Deus e pensam mesmo que estão servindo a Deus, porém elas não são livres por dentro, e não são verdadeiramente honestas consigo mesmas. Acham que a sua liberdade está servindo uma ideologia ou um sistema de crenças, fazendo proselitismo disso, comunicando isso, mas elas não são verdadeiramente livres por dentro. Elas são conduzidas por necessidades pessoais. Ainda são escravas de seu intelecto. Elas não se libertaram da mente. E assim o serviço delas a Deus ainda não ocorreu realmente, não de forma autêntica. Possui a aparência de ser assim, mas ainda não chegou realmente lá. Contudo, se elas forem honestas consigo mesmas, e duvidarem de suas crenças e questionarem as suas próprias suposições, então o caminho para a liberdade começa a se abrir para elas novamente.

Depois, é claro, existem aqueles que estão focados somente em liberdade política, liberdade econômica ou liberdade social. Esta é uma contribuição bastante importante para muitas pessoas, e pode ser o propósito maior delas fazer isso, mas a questão é: elas são livres dentro de si mesmas? A motivação delas se baseia no amor e na compaixão pelas pessoas? Ou é conduzida por raiva e hostilidade, por ressentimento e arrependimento? A sua dádiva é real e autêntica, ou está maculada e poluída?

Você não pode mover outro em um nível mais profundo a menos que você mesmo esteja movido naquele nível. Aqueles que lideram movimentos por liberdade política frequentemente tornam-se eles mesmos combatentes, sempre em guerra com a oposição, sempre tentando derrubar os poderes que supervisionam ou que são dominantes. Eles não são livres. Eles estão com raiva. Eles estão desesperados. Seus corações estão cheios de veneno.

Como isso possivelmente pode servir para o bem-estar das pessoas? Mesmo se elas provocarem uma revolução e derrubarem os poderes opressivos, que tipo de governo tomará seu lugar? Será uma transformação social real, guiada por indivíduos verdadeiramente inspirados ou será apenas uma mudança na classe dirigente – uma transferência de poder de um grupo para outro?

É por isso que você precisa olhar com clareza e prestar atenção com uma mente quieta para que assim você possa ouvir, ver e determinar a verdade e a autenticidade do que vê e ouve ao seu redor.

É muito fácil ter uma posição auto-edificante – estar a serviço, sacrificar-se, possuir todas as aparências de ser um verdadeiro servo da humanidade, um soldado da liberdade, um guerreiro por uma causa maior. Mas o que lhe motiva e o que lhe faz aceitar concessões farão toda a diferença no resultado.

Você pode mobilizar as pessoas com promessas de riqueza, liberdade e poder – poder social, poder econômico, poder político. Você pode mobilizar pessoas a fazerem coisas. Pode organizar as atividades delas. Mas é a natureza da sua própria motivação que determinará se você pode ser uma fonte de inspiração, se você pode acender o desejo por uma liberdade real dentro dos outros e não simplesmente manipular as paixões das pessoas e as circunstâncias opressivas delas para seu próprio benefício ou ganho.

Nações mudaram governos a um custo tremendo, com perda de vidas, sofrimento e deslocamento de pessoas, apenas para agora encontrarem a si mesmas sob um conjunto diferente de poderes opressivos. A mudança realmente valeu à pena? Valeu o custo que ela exigiu? As coisas realmente melhoraram nas vidas das pessoas? Uma verdadeira liberdade foi garantida?

Olhe com clareza. É preciso haver uma inspiração maior para produzir um resultado maior. Caso contrário, é tudo conflito e perturbação, e a condição da humanidade não terá melhorado.

Você está em uma jornada para a liberdade. Você não ficará satisfeito com riquezas e companhias, prazer e conforto, se não puder responder a isto dentro de si mesmo. Isto irá exigir que você esteja livre de certas coisas e livre para certas coisas.

Você precisa ter a liberdade para abrir a sua mente. Você precisa ter a liberdade para dar os Passos para o Conhecimento e permitir que o Conhecimento lhe proteja e guie em direção a uma vida maior. Você precisa ter a liberdade para ser honesto consigo mesmo e para libertar-se daquelas influências, relacionamentos e circunstâncias que negam esta liberdade ou a fazem mais difícil de atingir.

Você precisa ter a liberdade para estar consigo mesmo completamente – confrontando suas limitações, seus obstáculos, seus arrependimentos, seus erros, suas forças, suas fraquezas – tudo! Você precisa ser livre do medo e da fuga – a fuga habitual – que tem lhe negado o acesso a sua natureza mais profunda por todos esses anos.

Você precisa ter a liberdade para estar com os outros e para praticar uma neutralidade maior com as pessoas para que possa ouví-las, vê-las, conhecê-las e estar apto a reponder a elas em um nível mais profundo, e também para ser capaz de saber como estar com elas, como participar, quando participar, quando não participar, o que dizer, o que não dizer, o que fazer, o que não fazer.

A liberdade aqui é ser guiado pelo Conhecimento em todos estes assuntos. Você quer ser livre daqueles impulsos e medos, daqueles hábitos e comportamentos que lhe impedem de realmente estar com as pessoas, de ser aberto a elas, ser observador delas, ser sensível a elas num nível mais profundo.

Os seus julgamentos, as suas reações, a sua falta de perdão, as suas atitudes, as suas crenças – todas estas coisas impedem que você esteja presente a si mesmo, aos outros e ao mundo. E assim você precisa obter liberdade destas coisas dentro de si e dentro dos seus relacionamentos.

Você reivindica a jornada para a liberdade sendo honesto consigo mesmo, perguntando-se, “Estou realmente vivendo a vida que estou destinado a viver?” e não se dando a resposta que você quer, mas ouvindo mais profundamente dentro de si, e fazendo a mesma pergunta ao seu amigo e aliado mais confiável, e considerando o que você diz a si mesmo ou as respostas que você sente que estão sendo dadas a esta pergunta.

Pergunte-se, “Estou onde preciso estar na vida? Estou com as pessoas com quem eu preciso me associar? Estou engajado nas atividades que têm propósito e são necessárias para mim? Estou usando bem o meu tempo? Devo estar neste relacionamento, e naquele outro?”

Revise todos os seus relacionamentos, buscando de si mesmo uma resposta mais profunda, uma honestidade mais profunda, uma avaliação mais profunda. Não tocando a vida por suas vantagens, mas penetrando a vida por sua verdade e direção reais. Não sendo um covarde. Não sendo um tolo. Não sendo um escravo dos desejos dos outros ou do seu próprio condicionamento cultural.

Isto é honestidade. E honestidade traz você de volta a jornada para a liberdade, para os negócios inacabados da sua vida, para as atividades centrais e para as buscas essenciais que estão diante de você, e o trabalho que precisa ser feito em sua vida interior e em sua vida exterior para trazê-lo mais próximo da verdade sobre quem você é e por que você está aqui.

Na medida em que dá estes passos, você inspira outros a darem estes passos. Você fortalece aquilo que é forte, e enfraquece aquilo que é fraco. A sua vida se torna uma demonstração, o que em última instância, pode ser mais significativo do que qualquer coisa que você tente dizer ou fazer com as pessoas.

Você tem muito mais para fazer e para dar do que está fazendo e dando neste momento, e você sabe que é verdade, se você for honesto consigo mesmo. O engajamento com a honestidade traz você de volta à sua jornada para a liberdade – liberdade de, liberdade para, liberdade por dentro, liberdade por fora.

O Conhecimento irá guiá-lo a tomar determinadas ações. Você precisa ser livre para tomar estas ações.

O Conhecimento lhe revelará certas coisas sobre si mesmo e as pessoas à sua volta. Você precisa ser livre para considerar estas coisas e para responder.

O Conhecimento irá levá-lo a certos lugares. Você precisa ser livre para ir ali.

O Conhecimento construirá relacionamentos verdadeiros com pessoas que têm grande promessa para você. Você deve ser livre para participar ali.

O Conhecimento tirará você de situações que não são saudáveis ou que não têm futuro. Você precisa ser livre para se retirar.

O Conhecimento irá lhe pedir para esperar. Você precisa ter a liberdade para esperar.

O Conhecimento exigirá tolerância. Você deve ser capaz de praticar a tolerância.

O Conhecimento exigirá discernimento real e o desenvolvimento do discernimento por sua parte. Você precisa ser livre para empreender este desenvolvimento.

O Conhecimento exigirá que você seja discreto e que não fale de modo tolo ou sem pensar. Você precisa obter a liberdade e a força para fazer isso.

O Conhecimento exigirá que você enfrente o mundo e as Grandes Ondas de mudança que estão chegando para a humanidade. Você precisa ter a liberdade e a coragem para fazer isso.

Todas estas liberdades exigem separar-se de certas coisas e construir outras. Elas exigem mil pequenas liberações e novos começos em cada aspecto da sua vida.

Esta é a jornada para a liberdade. É por isso que você veio. Você não veio somente para colocar uma etiqueta sobre si ou para declarar a sua posição no mundo. Você veio por um propósito maior, e você precisa ser livre para encontrar, descobrir e seguir este propósito.

Deus colocou o Conhecimento dentro de você para tornar isto possível em um mundo de influências conflitantes e contrastantes.

Que este seja o seu entendimento.